Buscar

RELAÇÃO ENTRE DEUS E O HOMEM


- Deus deu condições ao homem para ser feliz.

(GEJ - VIII – 128)

“Digo Eu: Desde o início da Criação, quer dizer, do primeiro casal, Deus revelou a Sua Vontade, e os seus principais descendentes estavam em constante ligação com Deus e os anjos, que noutras épocas viveram em outro planeta. Orientados em todos os assuntos, eram homens perfeitos e senhores da Natureza total; pois todas as criaturas, inclusive os elementos, lhes eram submissas. Os inúmeros, filhos que pouco a pouco se espalharam na Terra tornando-se independentes, não mais aceitavam a Tutela de Deus e muito menos a dos genitores e parentes … Agiam a seu gosto e, se Ele os advertia e castigos lhes eram anunciados por sinais e mensageiros, riam-se, zombavam de Deus e martirizavam os mensageiros. (…) Com esta política, não demorou a tornarem-se regentes e, como tais, os iniciadores da idolatria, do paganismo, da superstição ou completo ateísmo. (…) Se assim é, conforme os exemplos demonstraram – que mais deveria Deus fazer aos homens a fim de manter-lhes a fé viva Nele, respeitando o livre arbítrio? (…) Inclusive desta vez, em que vim Pessoalmente entre os judeus para uni-los, tratei que a Minha Revelação fosse dada a cada povo dentro da sua compreensão. (…) Além disto, estás errado julgando que somente as almas que ouvirem e praticarem o Meu Verbo terão a Vida Eterna, enquanto as outras estariam eternamente perdidas. A essa opinião, aliás comum a muitos, posso dizer apenas que a vida de cada criatura é uma Força de Deus que Ele Mesmo não poderá destruir com toda a Omnipotência, como não seria capaz de exterminar-se a Si Próprio. Pois, se Ele pudesse destruir forças vitais que unicamente Dele se projectaram, Ele teria que começar por Si Mesmo, porquanto é, em Si, Tudo em tudo, desde Eternidades. Deus pode dissolver toda a matéria que nada mais é senão a Sua Ideia fixada pela Vontade, e fazê-la voltar ao espírito imutável; destruí-la, jamais – porque não pode aniquilar-se a Si Mesmo, nem aos Seus Pensamentos e Ideias eternamente lúcidas.