Buscar

ALMA

- A alma, tal como o corpo, alimenta-se.

(GEJ – I – 206:7-15)


- A pureza da alma.

(GEJ – II – 209)


- As preocupações são nefastas para a alma.

(GEJ – II – 226)


- O invólucro da alma.

(GEJ – II – 232)


- Constituição da alma e do corpo.

(GEJ – II – 210)


- Todas as almas, boas ou más, surgiram de Deus.

Digo Eu: Meu amigo, tal não é possível; todas as almas, boas ou más, surgiram por Mim. Eu não podendo jamais destruir algo, cada alma, por pior que for, viverá dentro da sua inclinação. Podes assimilá-lo?

(GEJ – VI – 240:9)


- A alma humana e a sua forma.

(GEJ – III – 24)


- A sua relação com o espírito.

(GEJ – III – 42)


- A diversidade de almas deste Orbe.

(GEJ – IV – 35)


- Conduta das almas no Além.

(GEJ – IV – 92)


- Progresso das almas na Terra e no Além.

(GEJ – IV – 93)


- O poder uma alma humana.

(GEJ – IV – 218)


- A evolução das almas no Além, que viveram na Terra antes de Jesus.

(GEJ – VI – 65)


- A alma humana é um conglomerado dos três reinos da natureza – mineral, vegetal e animal.

(GEJ – VII – 29:10-11X - 22)


- A missão da alma humana.

(GEJ – IX – 102)


- O desenvolvimento da alma do homem para a filiação Divina.

(GEJ – VI – 133)


- Sua continuidade após a morte física.

(GEJ – II – 18:1,138,139, 210VIII – 129)


- A alma vivifica o corpo.

(GEJ – II – 132:8,210)


- Estados evolutivos da alma.

(GEJ – II – 140IV – 91,243)


- O seu relacionamento com o espírito.

(GEJ – III – 42IV – 54,226VI – 218)


- A sua relação com a terra desde o início.

(GEJ – IV – 35,246)


- O seu corpo e os seus sentidos.

(GEJ – IV – 51,228)


- O desenvolvimento de almas fracas no Além.

(GEJ – IV – 91,148,243VI – 215)


- A separação da alma do corpo, durante a morte.

(GEJ – IV – 128,148VIII – 81,82)


- O poder de uma alma perfeita.

(GEJ – IV – 218)


- A irradiação da alma humana e a irradiação solar.

(GEJ – IV – 215)


- O desenvolvimento independente das almas destinadas à filiação Divina.

(GEJ – IV – 245)


- A sua determinação.

(GEJ – V – 94,98VI – 133VIII – 126)


- Pré e posterior existência da alma.

(GEJ – V – 184)


- Conduta da alma no Além e reencarnação.

(GEJ – V – 232)


- Diferenças entre almas do Alto e almas da Terra.

(GEJ – VI – 178)


- A sua evolução no Além.

(GEJ – X – 173)


- A natureza da alma e do espírito.

(GEJ – VI – 215,218,219VII – 66X – 173)


- A capacidade visual da alma após a morte.

(GEJ – VII – 65VIII – 135IX – 167)


- A vida eterna da alma.

(GEJ – VII – 190)


- A trindade no homem e em Deus:

Analisemos a alma e descobriremos ser ela igualmente uma criatura isolada com as mesmas partes do corpo, porém de substância espiritual, dele se servindo como o corpo utiliza os membros.”

(GEJ – VIII – 24)


- A alma vigia o corpo durante o sono.

(GEJ – VIII – 98)


- A actividade da alma.

(GEJ – IX – 142)


- Recurso para o aperfeiçoamento da alma.

(GEJ – IX – 170,171)


- As almas de impúdicos difíceis de regenerar.

(GEJ – VIII – 41:6)


- A composição da alma humana.

(GEJ – X – 22,183)


- A deformação da alma através do pecado e os três graus de espiritualidade.

(GEJ – VII – 155)


- Viajar é proveitoso para a alma.

(GEJ – VIII – 199)


- Mais explicações do Senhor sobre a composição do corpo, da alma e do espírito.

(GEJ - II – 210,218IV – 90 a 96; 215,216,217,218,220, 256,262,263V – 98VI – 133VII – 58; 66; 67IX – 102,142,143,179, 182)

Demonstro-vos isto para que reconheçais a dificuldade inerente ao caminho da perfeição, no Além, e quão fácil ele se dá na Terra, onde a alma é possuidora do corpo físico, no qual pode depositar as suas tendências materiais, tão logo queira. No reino dos espíritos, isto não é fácil. A alma sem o corpo, também deixou de pisar em solo terreno, e flutua sobre base espiritual, provinda de seus pensamentos e ideias, inadequados à assimilação da matéria expelida pela psique, a fim de enterrá-la para sempre (…) Tal é a situação de uma alma no Além presa aos seus pecados.” - “Uma alma de índole perfeita, também é patente num físico perfeito; impressão, sentimento e vontade se projectam em todas as direcções quais raios solares. Quanto mais próxima da alma, tanto mais intensiva e pronunciada é a constante projecção do pensar, do sentir e do querer.” - “A alma humana estando imersa em toda a sorte de preocupações mundanas – ou começando a fazer isso, obscurece a sua natureza luminosa, caindo finalmente em treva completa. Neste caso, não mais existe reserva de um amor poderoso e o pouco que sobra, não supre as próprias necessidades; eis que se apresenta o amor próprio, impossível de ser transmitido a outrem.” - Jesus ainda diz: “Este grau máximo de perfeição vital, não era possível alcançar-se antes da Minha encarnação; e Eu, vim, expressamente a esta Terra, a fim de tornar-vos Meus verdadeiros filhos, pelo renascimento (enchimento do Espírito Santo) de vosso espírito em vossa alma … Tal psique (servo cheio do Espírito Santo) … acha-se apta a ter visões das esferas puramente espirituais. Pode até mesmo ouvir a palavra do Espírito Divino, conforme sucedia com todos os videntes e profetas.” - “Tendes de iniciar esta tarefa, porquanto os que se acham errados não levariam benefício com a simples volta à verdade, de sua alma remendada … A fim de evitá-lo, tracei o caminho a seguir de tal forma, que Meu Espírito, por Mim depositado como centelha de Meu amor paternal no coração de cada alma, alimentado por vosso amor por Mim e daí, realmente activo, para com o vosso próximo – cresça em vossa alma. Uma vez alcançada a justa elevação e força, o espírito se unirá à alma purificada, acto que será denominado de Renascimento do Espírito (Novo nascimento – João 3:3-8).” - “Aquilo que ela (alma) conquista por este caminho justo, pela Ordem de Deus (busca de vida espiritual), é e será sempre sua posse, não havendo eternidade que o consiga tirar … Terás aquilo que reconheces, desejas e amas!” - “Tão logo uma alma vegetal ou animal estiver apta a ingressar em um grau mais elevado após o necessário amadurecimento, o seu espírito no Além, incumbido da sua educação, faz com que lhe seja tirado o corpo imprestável, a fim de que possa ser dotada de maior inteligência, formar um outro, no qual, por certo tempo consiga mais um degrau até alcançar o físico humano. (…) Alcançado este grau da existência, a alma é perfeita e não pode ser mais destruída ou tragada, como indivíduo dependente da totalidade divina. (…) Assim sendo, o próprio indivíduo nada perde quando lhe é tirado o corpo futuramente imprestável, a fim de que possa alcançar mais rápido a sua finalidade.” - “O corpo por si só como matéria inerte, nada vê, ouve, sente, sem a alma. É apenas instrumento necessário da psique, de tal forma construído e organizado, capacitando a alma a se servir dele no mundo exterior. (…) O guia dos membros é a inteligência e a vontade do coração.


- O Senhor Jesus permitiu aos presentes experimentarem por minutos a sua libertação da matéria.

Imediatamente várias pessoas caem em estado visionário e se vêm numa zona desconhecida, sumamente agradável, de sorte Me pedirem deixá-las ficar, pois não querem voltar à Terra. (…) Pergunto-lhes se vêm o orbe. E elas respondem: Sim, atrás de nós, vemo-lo transparente. (…) Em seguida, permito-lhes a visão da Lua. (…) Uma árvore, uma casa ou um navio, homem ou animal, eram vistos em sua forma física, entretanto a nossa visão trespassava tudo, muito embora não fossem os corpos transparentes. (…) Nas criaturas percebemos até mesmo os seus pensamentos, que no início se apresentavam quais pequenas imagens do coração … Nos irracionais nada disso se via.

(GEJ - VII – 58:3,4,9,10,13,14,15)


- Perguntas sobre a Alma no Além.

Senhor e Mestre, é facto consumado a existência da alma após a morte, mas – para onde vai e qual a natureza dela e a do espírito?

(…) A alma humana é substância puramente etérea, concatenada de muitos átomos luminosos ou partículas diminutas, para uma forma humana perfeita através da sabedoria e Omnipotência Divinas; e o espírito é a Vontade de Deus, o fogo do puríssimo Amor Divino. (…) A alma é de certo modo matéria dissolvida e coagida pela força do espírito; passando à forma primitiva e unida a ele, perfaz o seu corpo etéreo luminoso e substancial … Tens aí uma breve elucidação da natureza da alma e do espírito puro. (…) Quanto ao local da permanência da alma após o desprendimento, dificilmente compreenderás … No primeiro período da sua existência postmortum a alma, geralmente, se encontra onde viveu na Terra, isto é, no caso de não ingressar completamente perfeita no Além. (…) Em tal caso, ouve e vê o mundo natural, muito embora lá não mais se encontre. A sua existência é mais ou menos um sonho lúcido, no qual ela vive numa zona ou paisagem de sua própria projecção, agindo como se se encontrasse no mundo natural, sem que algo lhe falte. (…) Pela permissão de Deus, geralmente é destruída tal zona, e a alma passa a outra … percebendo, paulatinamente, ter abandonado o mundo material, enchendo-se de ânsia para alcançar pouso efectivo e estável. (…) Chegado a esse ponto, é ela orientada por espíritos perfeitos (anjos) sobre o que deve fazer …À medida que ela cresce qual embrião no corpo materno, tudo ao seu redor começa a ter maior consistência. (…) Tão logo for inteiramente penetrada por ela, atinge a plena visão, conhecimento claro, consciência e recordação perfeita de tudo: o que foi, como se criou, o que fez e qual a aparência e consistência do mundo em que viveu. (…) Isto tudo é certo e indispensável para uma alma perfeita, entretanto é apenas o menor grau da enorme felicidade, porque com o tempo começa a cansá-la, assim como te causaria enfado a observação secular desta linda paisagem. (…) Grau mais elevado … (…) Outro grau, quase máximo, de felicidade … (…) A máxima bem-aventurança de uma alma perfeita se concretiza na liberdade divina, pela união com Deus através do amor. (…) Este adolescente (anjo Rafael) de há muito é espírito puro, todavia já viveu na Terra! Chamava-se Enoque e foi o primeiro profeta e doutrinador dos descendentes de Adão. (…) Como a sua alma nos primórdios se inflamou no amor puro e mais elevado para com Deus, tal amor dissolveu o corpo em substância etérea revestindo a alma liberta

(Enoque foi arrebatado para Deus, sem passar pela morte física – ver Génesis 5:23-24).

(GEJ - VII – 66: 1,4,6-11; 67:1-6)


- A evolução da alma humana.

Diz o Senhor: “A fim de levar os inúmeros elementos básicos, através da matéria, de certo modo separados de Deus, a uma existência perfeitamente livre e semelhante ao Criador, preciso é uma sequência de transformações várias como vedes em todos os pontos do orbe, por Mim detalhadamente demonstrada. (…) Até chegar ao homemNo próprio ser humano, ponto final da evolução do elemento básico, o caso é diferente … São-lhe dados razão, intelecto, liberdade de pensamento, vontade livre e a força para agir como lhe agrada. (…) Para a alma saber como agir … Deus lhe demonstra os Caminhos para tal fim. Depende da verdadeira inteligência e vontade da própria alma, libertar-se de todos os laços da matéria. (…) Na matéria está presente o Poder eterno e invencível de Deus e só pode ser libertada pelo Poder Dele … Por isso, não há criatura capaz de ser e agir de forma diversa do que fora criada pelo Poder Divinal. (…) Em que consiste o poder de Deus no homem? No amor puro e verdadeiro ao Pai … no justo amor para com o próximo … e renúncia de todas as tentações do mundo. Quem estiver forte nesses pontos, terá a Omnipotência de Deus, unindo-se a Ele pela ligação de sua alma ao Espírito Divino, elevando-se acima do domínio de Espaço e Tempo … Assim como Eu estou no Pai e Ele em Mim, todos que viverem na Doutrina, que é Minha Vontade, estarão Comigo e Eu neles.


- A actividade da alma.

Alguém diz: “ … Mas se a alma, tiver encontrado este maior tesouro da vida (conhecimento interior), qual será a sua actividade? (…) Digo Eu: Pela razão de que a bem-aventurança não consiste no perfeito conhecimento de tudo, mas na crescente actividade no amor; preciso é que toda a alma dele faça o seu elemento único na vida, sem o qual jamais chegaria à clareza interior. A acção do amor é um fogo de vida interior que, pelo crescente incentivo, tem que se tornar uma chama poderosa. (…) Sua felicidade e lucidez aumentam à medida da sua actividade no amor, e não pela evolução intelectual, à qual jamais chegaria sem o amor activo, desde Eternidades. Deus organizou a vida do homem de tal forma, que nenhum espírito ou alma poderão chegar à Luz sem actividade correspondente. (…) De que forma conseguem os homens a luz material? Pelo atrito de dois pedaços de madeira ou pedra, até que comecem a produzir fagulhas de fogo … Teria surgido tal incandescência e posterior chama, sem a precedente actividade, que pela evidente movimentação representa o máximo grau de acção? (…) Assim vemos que na própria matéria morta é preciso certa actividade para se fazer luz e fogo... E ela (a actividade) desperta pelo amor, elemento de vida que, pela crescente acção faz surgir a luz na alma, quer dizer, a sabedoria que descobre, opina e ordena todas as coisas de si própria.


- A actividade dos espíritos.

Alguém diz: “ … Desejava apenas mais um esclarecimento a respeito da actividade de uma alma perfeita, no Além. (…) Digo Eu: Sim, Meu amigo, mas de forma diversa do mundo! Sem a grande actividade dos espíritos, mormente dos perfeitos, nada surgiria na Terra. Não somente nada cresceria, tampouco haveria criaturas vivas no solo, como também jamais teriam surgido Sol, planetas e outros corpos cósmicos, e muito menos subsistiriam. (…) Se bem que os homens preparem o solo e lancem sementes nos sulcos, cabe aos espíritos efectuar a germinação, o crescimento e o amadurecimento do fruto. Daí concluirás haver muito trabalho para os espíritos perfeitos, inclusive no orbe, como também em todos os outros corpos cósmicos; quanto maior o seu labor na justa educação espiritual e aperfeiçoamento das criaturas na Terra, muito mais intenso será no Além. O número de almas imperfeitas a chegarem no Além, mormente do nosso planeta, é muito maior do que o das perfeitas. As imperfeitas e maldosas em breve prejudicariam o orbe com auxílio dos elementos ainda impuros, a ponto que nenhuma erva, arbusto e árvore cresceriam, impossibilitando igualmente a permanência de irracionais e homens. (...) Somente pelo amor, sabedoria e poder dos espíritos perfeitos, são as almas maldosas e imperfeitas, no Além, impedidas nesta acção, e paulatinamente educadas e aproximadas do Reino de Deus. (…) A maneira pelo qual isto é realizado pelos espíritos perfeitos, não é possível esclarecer.


- Os estados evolutivos de uma alma (explicação do anjo Rafael):

Aquilo que o construtor entendido te responderia, eu externo com referência à tua crítica sobre os estados preparativos até à plena formação de uma alma. (…) Observa o melhor ferreiro de cadeias. Primeiro apronta quantidade de elos isolados, que em seguida são unidos dentro das regras da profissão. Terminado isto, duas partes são ligadas pelo sétimo elo de união, em seguida as partes de quinze elos por outro elo de união, até que esteja pronta a corrente longa. (…) Ainda que os estados preparatórios de uma alma se apresentem isolados ao teu intelecto, eles se acham ligados frente ao grande mestre de ferraria. Qual seria o ferreiro que apenas aprontasse elos isolados simplesmente para sua distracção monótona, sem formar a ideia e a vontade de ligálos para uma corrente prestável? (…) Assim também Deus fez surgir os estados isolados de uma alma, a fim de alcançar a união final, em existências preparatórias individuais. (…) As suas criaturas terão que ser igualmente eternas e imutáveis, após os períodos previstos para a sua perfeição, que naturalmente são precedidos por algumas transformações aparentes. Se isto ainda não te satisfizer, poderás procurar outras provas, sem jamais encontrá-las.


- O meio de salvação de almas materialistas.

Digo Eu: Se, porém, uma alma, após ter recebido e assimilado a Doutrina pura, conjecturar o seguinte: Agora sei o que fazer para minha salvação. Mas, antes de entrar em acção, quero por certo tempo gozar das delícias deste mundo. (…) Devido à constante inclinação para a matéria, em virtude do primeiro abuso, a primitiva influencia espiritual se torna cada vez mais apagada. (…) Quando, através de experiências amargas chegarem a se sentir enojadas do mundo e de seus prazeres prejudiciais, - terá chegado o momento, como ora acontece, de demonstrar-lhes os Caminhos da Luz da Vida por meio de Novas Revelações dos Céus. (…) A relação entre espírito, alma e corpo é por Mim estritamente pesada em toda a criatura."

(GEJ - IX – 102:1-8; 142:1-7; 143:1-5; 179:3,5,8,10; 182:1,2,6,7)


- A sua formação e composição.

Na explicação do porquê da morte dos animais para uso de sua carne como alimento, Jesus entra numa esfera totalmente desconhecida para a doutrina comum.

No GEJ - IX: 20, Jesus mostra como do reino vegetal, passando para o reino animal (animais irracionais), se formam “aglomerados” de almas que irão dar lugar à “alma maior” dos seres humanos. (GEJ - IX – 21; 22; 23)

Digo Eu: Qualquer pessoa inteligente e sensível poderá observar em vários fenómenos, o facto de ser a conjunção da alma e correspondente a ela, também o físico, sumamente imprecisa, no início. Considera noções e ideias, infinitas e variadas que uma alma de certa educação pode projectar e imaginar – certo ou errado, isto por ora não importa – pois se não fosse concatenada (ligada por elos) de um compêndio total, não seria capaz para tanto, tampouco um boi ou burro poderia desenhar um castelo e construí-lo. (…) Se observares os diversos animais, tanto do ar, como da terra e da água, descobrirás na maioria capacidade construtiva … todos eles efectuam as suas moradias segundo as suas necessidades. (…) Cada animal, do mais ínfimo ao maior, possui apenas uma capacidade construtora peculiar à sua inteligência simples, conhece o material que usa sempre de maneira idêntica; em uma alma humana existem todas as capacidades intelectivas de animais, em grande número, das quais pode organizar inúmeras noções e ideias, criando formas novas e importantes. (…) Assim, pode o homem de alguma educação inventar … Acaso poderia fazê-lo, se não existissem em sua alma todas as variadas capacidades? Certo que não; pois o animal mais inteligente não tem fantasia, tão pouco o dom de composição integral. (…) Em teu intimo perguntas: porque precisaria uma alma atingir tais capacidades, por caminho tão longo? Respondo: O mais Sábio e Perito Construtor de todas as coisas e seres, sabe melhor porque organizou este caminho para educação de uma alma perfeita, portanto podes estar satisfeito.

Quando estiveres mais aperfeiçoado, assimilarás também o motivo do teu trajecto longo e insípido.” (GEJ - IX – 22:1-5)



- Almas de irracionais.

Respondendo a perguntas pertinentes de Lázaro, Jesus esclarece sobre a necessidade das tentações para o homem se tornar Filho de Deus, o livre arbítrio humano e a limitação dos irracionais.

(GEJ - VI – 165)

De uma só alma animal jamais poderá surgir uma alma humana; por isto se diz que aquela morre junto com o corpo. Isto deve-se entender da seguinte forma: após a morte de um boi, por exemplo, a sua alma deixa de ser boi porque se reúne com muitas outras para completar uma nova, mais perfeita, e após certo tempo se qualifica para uma psique humana, podendo encarnar em um físico humano. Tal conhecimento é antigo; foi comum entre os patriarcas e hoje em dia ainda o é nos habitantes da Índia setentrional. (…) Inútil prosseguir neste assunto, pois basta ao homem se reconhecer como tal, aceitando Deus como Criador, Benfeitor e finalmente seu Pai, unicamente Verdadeiro, ao Qual deve se tornar idêntico em espírito, e também o pode tão logo o queira.


- As almas no Além.

Jesus esclarece-nos sobre realidades espirituais que nos transcendem e mudam completamente a nossa maneira de pensar e pregar as verdades do Evangelho.

(GEJ - IV – 236, 238, 242, 246V – 90, 94, 95, 96, 112, 136, 226, 227, 231,232VI – 65, 67, 68, 70, 71, 72, 225VII – 119, 209VIII – 17, 129, 132, 167IX – 138, 141, 170, 171, 210)


Onde deveria a alma buscar, no Além, o material de construção para um ambiente habitável? Pensais poder Eu ajudar tal pobre alma? Por certo; nunca porém, por uma piedade fraca, humana e fora de época, senão dentro da Minha ordem imutável, cujos braços são longos e cheios de paciência.” (…) É possível enviar lhe mensageiros a ela semelhantes, para muni-la e enriquecê-la, com cuidado, sem que o perceba; de noções melhores. Um século não basta para levar uma alma totalmente perdida, neste mundo, a uma ordem primitiva no Céu. É quase impossível conduzi-la no Além do primeiro e puro Céu da Sabedoria. (…) De modo idêntico realmente as almas do primeiro Céu, mormente quando se lembram daquilo que passaram, sendo como espíritos, obrigados a trabalhar com afinco para o seu sustento, tal qual fizeram na Terra, apenas com a diferença de não poderem angariar bens supérfluos … Assim sendo, tais almas que já não se encontram na terra, nunca são inteiramente felizes, por sentirem sempre uma carência em seu estado psíquico. (…) Demonstrei-te … os resultados que esperam uma alma no Além, pela tendência mundana. (…) Cada alma terá de se desenvolver aqui, com facilidade e no Além com dificuldade; para isto recebeu os meios necessários. Não o fazendo aqui, por se deixar envolver pelo mundo e os seus tesouros tentadores, terá de realizá-lo no Além. (…) Acontece, ser geralmente uma alma pervertida muito fraca, de sorte a ser incapaz de sustentar a sua forma humana, apresentando-se no Além numa caricatura semi-material, e até mesmo como animal incompleto. Nesse caso é-lhe transmitida sucessivamente força maior, sem que o perceba; no entanto, aplica-se maior precaução para não lhe perturbar a sua individualidade. Além disto, provoca tal auxílio grandes dores, em se tratando de uma alma fraca excessivamente susceptível e irritadiça.” - “Os imperfeitos passarão por situação mui diversa na hora do desprendimento: primeiro, terão de suportar fortes dores que aumentarão até o final; segundo, manifestar-se-ão na alma pavor, medo e até desespero, afligindo-a ainda mais do que o sofrimento físico. Uma vez liberta no Além, levará anos para chegar a alguma consciência humana, e de uma completa espiritualização não será possível se falar em eões (*) de anos terráqueos.

(*) Eões ou Aion = Eternidade (Dez milhões de vezes dez milhões de anos terrenos).

(GEJ - V – 90:5; 112:5)


- As almas de criaturas que foram assassinadas.

Podeis curar doentes à vontade, uma, duas ou três vezes; da ressurreição deveis desistir para sempre! Com isto vos tornareis num ser muito mais maldoso perante as almas desencarnadas, do que o pior assassino e salteador, entre as criaturas que porventura venham a viver. (…) Que desgraça imensa não representa nesta Terra, caso alguém seja assassinado. No Além, se considera uma infelicidade mil vezes maior quando uma alma liberta é obrigada a retornar ao corpo mortal, pesado e mal cheiroso! Por isso, não seria caridade se fosse chamado à vida alguém de já faleceu! (…) Lá existem almas que poderiam ser consideradas de demónios e passam milhões de vezes pior que aqui um mendigo miserável; mas entre as inúmeras, não existe uma disposta a encetar novamente o caminho da carne. Se isto se dá com os infelizes, muito mais com os bem-aventurados. Por tal motivo, não mais ressusciteis os mortos! Compreendeste-Me bem?

(GEJ - V – 136:3-5)


- As almas juntam-se a outras de índole idêntica.

Dá-se, porém, a época e a hora determinada pela Ordem da omnipotência Divina em que tais almas são obrigadas a deixar o corpo tão amado! … Entretanto, não serão por mim condenadas, mas levadas a estado idêntico ao da Terra. Apenas com a diferença que os vizinhos são, querem e têm o mesmo que elas. (…) Não leva tempo para que se desencadeie uma guerra tremenda. (…) Se fossem apenas dois ou três a pensarem deste modo, enquanto os demais, espíritos humildes, se submetessem, seria isto uma espécie de monarquia onde um manda e milhões obedecem. Tal porem não se dá … e até mesmo a guerra, onde ninguém pode ser morto, todavia se projectam ódio e ira qual fogo destruidor. (…) A fim de abrandar tal grupo maldoso é preciso enviar um poderoso espírito celeste (anjo), que isto consegue por um fogo ainda mais forte, produzindo dores incalculáveis, momentâneas ou prolongadas.

(GEJ - V – 226, 3- 6)


- As almas de criaturas prejudicadas na terra causam prejuízo.

Digo Eu: Vamos até lá para analisar a valentia dos espíritos brutos da terra que isto fizeram (abriram uma cratera no terreno), estimulados pelas almas desencarnadas de teus inimigos, porquanto adquiriste aquelas terras pela penhora jurídica para saldar a divida enorme que os prendia a ti.” (GEJ - VI – 70:3)


- As almas no Além demonstram o seu verdadeiro carácter:

A pedido de umas sacerdotisas, Jesus permite que o seu pai falecido fale com elas. Quando este lhes aparece e fala com elas, estas notas rispidez no pai, quando em vida era uma pessoa tratável. Jesus explica o porquê de tal facto. “Que rispidez e brutalidade! … Criou outra alma? (…) Respondo: Por certo que não! No mundo, porém, ela ocultou a sua verdadeira índole, por precaução externa e se apresentava com a ajuda do seu físico, de modo diverso. Agora, em sua nudez, isto não é mais possível. Pois no Além, nenhuma alma se pode apresentar de modo diferente do que éSua modéstia e meiguice eram apenas máscara! (…) Por isto não espereis no futuro, ensinamentos por parte de um espírito qualquer, mas aprendei através de Minha doutrina, para vos capacitardes de entrar em plena união vital com o Meu Espírito!

(GEJ - VI – 125:8,9,10)


- As almas e as suas actividades.

Julgas que a volta de uma alma fortificaria a fé na sua imortalidade e em Deus; mas Eu te afirmo, tua opinião errónea! Primeiro, tem ela (alma) muito que fazer por si e seus semelhantes e não dispõe de tempo para aparecer, seguidamente, num corpo criado pela atmosfera terrestre … Segundo, pode todo o espírito perfeito (anjo de Deus) influenciar da melhor maneira possível sem restrição do livre arbítrio, factor muito mais proveitoso que a visão e audição psíquicas. Se um espírito bom e iluminado (anjo de Deus) insufla bons pensamentos e sentimentos em teu coração, tem o mesmo efeito como se fossem de tua autoria; unificam-se com a tua vida e determinada acção.

(GEJ - VI – 225:3)


- A situação da alma após a morte física.

Após uma reflexão de José (pai adoptivo de Jesus) sobre o juízo Final e a bem-aventurança futura, Jesus diz:

São palavras belas e sábias, interpretando um bom quadro; seu único defeito é não corresponder à Verdade! Se ora estou convosco, porque não Me perguntais da situação da vida da alma após a morte? Portanto, desconheço uma noite de morte eterna da alma, pois, no momento em que te vires livre da matéria, encontrar-te-ás na ressurreição, vivendo e agindo eternamente, isto é, caso deixares a Terra como homem justo perante Deus. (…) Morrendo como injusto, seguir-se-á uma noite prolongada entre o desprendimento e a verdadeira ressurreição – somente consciente à tua alma – apresentando-se como morte real e infinda. Pois uma morte inconsciente para a alma, não seria morte. A morte consciente no reino dos espíritos impuros ser-lhe-á sofrimento e martírios cruéis. (…) Digo Eu: … A alma tem a mesma forma do corpo, apenas mais perfeita. Falo de uma alma perfeita. Possui tudo o que era do corpo, mas subentenda-se para finalidades diferentes. O seu corpo não é matéria mas pura substancia. (…) Tal substância é semelhante à luz solar, apresenta-se sem efeito para a matéria, entretanto é seu estofo básico, sem ser a mesma coisa; pois todo elemento original é livre e independente.” (GEJ - VII – 209:8,9,15,16)


- As almas de criaturas que viveram na Doutrina do Senhor.

Caso vivais de acordo com o Meu Verbo, recebereis o Baptismo do Espírito, ou seja, o renascimento do Espírito em vossa alma. Ele vos levará à Verdade plena, fazendo-se luz onde ora há escuridão. (…) Cada alma terá no Além o que deseja … Dando atenção às advertências, dentro em pouco receberá ajuda. (…) Tal inclinação, boa ou má, é a vida peculiar da alma de cada criatura, anjo ou demónio; se tal pendor lhe for tirado, ela perde a vida e o ser. Isto não pode estar na Ordem Divina, pois, se fosse possível a destruição do menor átomo da Criação, perdendo sua existência para sempre, Deus Mesmo perderia um átomo de Sua Existência – coisa inteiramente impossível. (…) Assim sendo, uma alma humana tampouco pode perder sua vida; pode tornar-se muito infeliz e miserável pela própria vontade, mas igualmente alcançar a sua plena felicidade.


Este é um assunto a considerar, pois na doutrina evangélica é completamente banido. No Catolicismo Romano é considerado, mas completamente errado. Aqui Jesus aclara o assunto, embora no meio evangélico seja rejeitado.

- A pregação do Evangelho às almas de criaturas falecidas.

Digo Eu: Tais almas, nem boas nem más, não se podem tornar perigosas, e constitui obra de caridade pedir por elas. (…) Eu mesmo vos dei oportunidade para vos tornardes úteis àqueles que já faleceram. Mas como pedir?Explicai-lhes o Evangelho, com fé e amor, e elas vos ouvirão e aproveitarão. Deste modo pregareis a Boa Nova aos verdadeiros pobres de espírito, que lhes será muito útil. (…) Todas as demais preces e orações de nada adiantam às almas, mas prejudicam pelo aborrecimento de serem comuns … A maneira pela qual vos ensinei a pedir e cuidar da pobreza espiritual dos que deixaram esta terra, reverte em bênção; orações e missas dos fariseus são-lhes maldição que desprezam e de que fogem. (…) Guardai este Meu conselho; com a sua prática, criareis amigos verdadeiros, poderosos e reconhecidos, no Além, que não vos abandonarão, aqui ou lá, caso passeis qualquer atribulação! Tornam-se tais amigos vossos protectores, zelando pelo bem dos seus benfeitores. (…) Somente os conseguireis pelo zelo e cuidado por Mim descritos … podeis faze-lo sempre e em qualquer lugar e pelo número de almas de que for capaz a vossa imaginação. A vossa fé, amor e misericórdia verdadeiros, e a Verdade surgida por Mim, ultrapassam as esferas do grande Homem Cósmico. Não sois apenas, Minhas criaturas, mas idênticas a Mim. (…) Em verdade vos digo: a vós vos é dada uma esfera de actividade infinita, cuja extensão vereis apenas quando morardes e agirdes no Meu Reino eterno, numa só Casa do Pai!O que vos digo é Verdade profunda e Divina... Os filhos de um pai não podem ser menos perfeitos do que ele. (…) O que Me expuserem os Meus verdadeiros filhos e amigos, será por Mim considerado e, brevemente, aliviarei os seus males.


- Sobre imortalidade da alma, Jesus dá mais evidências.

Digo Eu: Criaturas tiveram milhões de provas convincentes da sobrevivência da alma humana, boa ou má, porquanto tinham às vezes, intercâmbio directo com vidas que já tinham falecido, durante anos afora. (…) Nesta Terra há muitos reinos e continentes, além dos três por ti conhecidos, muito embora não os tenhas visto. Eu os conheço e posso afirmar a sua descoberta, no futuro. (…) Todos eles são habitados e receberam revelações do Alto por parte de espíritos que lá viveram. É claro que tais almas não se encontram na perfeição da luz vital, ao ingressarem no Reino dos espíritos, porque, como materialistas, dificilmente podem ser levadas ao justo Caminho da Luz. (…) Por isso é preciso muito cuidado para levá-la (alma), pouco a pouco, e imperceptivelmente, ao justo caminho! Para tanto, é necessário amor, sabedoria e paciência, elevadíssimos. (…) Os judeus, nesta época quase totalmente descrentes, não obstante possuindo a Escritura e promessa da Minha Vinda e, pela tradição, sabendo como Deus guiou o seu povo, conquanto não acredite – são os mais aptos a suportarem a Minha Presença Pessoal, porque não podem praticar idolatria Comigo. Quem Me reconhecer sabe, no fundo, quem Sou; os incrédulos Me consideram um mago e o meio-termo, profeta. Assim, nenhuma alma é prejudicada com a Minha Presença, em sua individualidade e livre arbítrio, de sorte que a Luz tem de partir dos judeus para o mundo inteiro. (…) Uma alma ou, para tua compreensão, um espírito, não sendo material, não pode ser visto pelos olhos físicos, nem percebido com qualquer sentido. Alguém ansioso por ver a falar a um espírito, terá que se tornar espiritual, único elemento capaz de tal fim. (…) Digo Eu: Toda a alma leva para o Além somente o amor, que o segue como obras de sua vontade. O amor da alma estando preso às coisas mortas deste mundo, a ponto de unir-se a elas, determina a morte da alma. A vontade se identificando às coisas materiais, carece de liberdade plena, portanto é condenada; é o que se chama de inferno e morte eterna. Cuidai antes de tudo que a vossa alma não seja aprisionada pelo amor ao mundo, seus tesouros e tentações, pois em tal caso será difícil dele arrancar-se!” (GEJ VIII – 17:1,5,6; 38:1-7,14; 129:1-4,6,9; 132:6; 167:9)


- Alguém pergunta a Jesus porque as almas não são visíveis.

Porque, Senhor e Mestre, não é permitido que almas de criaturas que deixaram o corpo se tornem visíveis, ao menos aos parentes, especialmente quando correm perigo, para demonstrar lhes o Além.

De que adianta pregar-se ao semelhante uma existência após a morte, quando não se lhe pode dar provas evidentes? (…) "

"Digo Eu: Amigo, o que desejas com tanto ardor, sempre foi revelado a todos os povos que viviam dentro da Vontade de Deusos homens desprezaram as advertências do Além, e até mesmo as temeram e fugiram delas, perdendo a capacidade do intercâmbio com almas activas. Somente em sonhos, criaturas de boa índole eram visitadas e instruídas por habitantes felizes do Além. (…) Acaso, não apareceu a Zacarias, e a todos que se encontravam no Templo, um anjo, visível e audível? Foi o bastante para Zacarias ser estrangulado pelos fariseus egoístas! (…) O que expressas-te num desejo louvável, sempre foi concedido, e as criaturas puras e incorruptas na era primitiva sempre foram orientadas por espíritos puros, por se encontrarem em constante contacto com elas. Foram eles a lhes mostrar como extrair os metais da terra, empregando-os para instrumentos e utensílios por intermédio do fogo, igualmente ensinado por eles. De quem haveriam de aprender o conhecimento de tudo, senão daqueles seres sábios aos quais tudo é claro pela Luz de Deus? (…) Imagina um país habitado somente por criaturas, isentas de educação e ensino! … Conforme existem ainda tais criaturas nesta Terra e existirão por muito tempo, como prova que um homem sem ensino e educação, nada conhece, nem descobre. (…) Os primitivos habitantes chamados – filhos de Deus – foram realmente ensinados pelos Céus! (…) Acaso é de se admirar que os espíritos puros raramente se encontrem entre os homens? Amigo, a permissão é ainda a mesma – somente os homens não são idênticos aos que lidavam com espíritos elevados. (…) Digo Eu: … Uma alma perfeita e renascida no Espírito de Amor e da Verdade, nada perderá pela morte, senão o peso que a prende ao mundo material, e lucrará muito. Digo-te: Jamais alguém viu, ouviu e sentiu fisicamente, o que aguarda no Além, os que Me amam e vivem segundo a Minha Doutrina. (…) Pois tudo que vês no mundo, existe relativamente no mundo dos espíritos, sem o qual nada existiria materialmente. (…) A Terra, Lua, Sol e todas as inúmeras estrelas, igualmente corpos cósmicos, nos quais habitam seres e criaturas variadas, são na realidade, puramente espirituais. (…) Verás esta Terra como é, foi em outros períodos transitórios e como será até o fim material, e passando daí, em estado espiritual imutável e puro … Para a alma, semelhante à Luz Básica de Deus, nada mais é tão insuportável e incómodo do que a turvação e incerteza em tudo, dando-lhe apenas conhecimento externo das coisas. (…) A bemaventurança da vida consiste principalmente na actividade.


- Jesus elucida os discípulos sobre realidades no Além.

Mediante o que viram, perguntam ao Senhor: “ … Teria sido a zona lúgubre e imunda, com tudo que apresenta, determinada localidade na Terra, ou apenas projecção dos espíritos vistos por nós? (…)

"Digo Eu: Os espíritos vistos por vós e milhares de outros têm realidade perfeita. Habitam naqueles burgos e fortalezas percebidos naquela zona. Todo aquele quadro: a zona, burgos, fortalezas, casebres imundos, tendas, acampamentos, soldados e tudo o resto, é simples criação de sua fantasia. Contém uma milionésima parte de realidade … A sombra nada tem de real – entretanto não existiria, caso não existísseis. (…) A maioria das almas vistas por vós, vivem no Além, mas em parte ainda na TerraDesprovidas do menor vislumbre de luz da Verdade plena, não podendo ver e perceber o que seja a própria Verdade, qual adormecido que nada vê do que o rodeia, percebem apenas aquilo que a sua fantasia consegue projectar do seu amor-próprio com a ajuda da consciência ligada à memória. (…) Tal criação pode ser vista por todo o espírito perfeito … Na Terra pode um lobo aparecer com pele de cordeiro; no outro mundo, será abertamente revelado o que pensa, quer e faz. Todo o espírito perfeito (servo de Deus no Espírito) tendo essa capacidade, pode igualmente enfrentar com os recursos correspondentes, toda a maldade e má intenção, em virtude da sua sabedoria e poder. (…) Tal sociedade de espíritos maldosos, às vezes, tem de sucumbir na mais profunda perversidade, aniquilando-se totalmente … só então surge leve possibilidade de elevar-se paulatinamente à luz da Verdade.


- O recurso para o aperfeiçoamento das almas.

Digo Eu: No teu íntimo, pensas o seguinte: Tal deveria ser mui fácil à Misericórdia e à Sabedoria Divinas (mudar a índole das almas no Além)! E Eu respondo: Se tal quisesse, não precisaria ter encarnado como Filho desta Terra e doutrinar-vos; tampouco necessitaria despertar vários profetas e sábios da antiguidade. (…) Pois seríeis semelhantes a seres materiais como sejam, barro, ar, água, pedras, metais, plantas e toda a sorte de irracionais – o caminho evolutivo tem de ser o acima indicado. (…) Por isto, nasce o homem inteiramente sem conhecimentos e noções, necessitando de ensino em tudo, ao passo que os irracionais trazem ao mundo o que é indispensável à subsistência. (…) O homem é psiquicamente separado da Omnipotência de Deus, ao nascer, dependendo em tudo da sua própria vontade e conhecimento. Somente após ter chegado ao conhecimento de Deus pelo ensino dos genitores e outros professores, a Ele se dirigindo com fé para pedir auxílio e ajuda, inicia-se a insuflação divina, passando por todos os Céus, na alma do homem, cujo conhecimento se aclara cada vez mais à medida que aumenta o amor a Deus … continuando, porém, inteiramente livre e independente como Deus. (…) O mesmo acontece com todas as almas perfeitas no Reino de Deus; estão compenetradas da mesma Verdade porque se inflamam como Luz do seu amor a Deus e ao próximo.


- O julgamento de almas egoístas no Além.

Geralmente, o homem provido de bens terrenos não deixa de perceber o irmão necessitado; todavia conjectura: Tenho o que preciso – que me importam os outros? Cada um trate de si para não sofrer necessidades! (…) A tal homem, Eu direi no Além: Porque cuidastes somente de ti … Por isso, estarás abandonado no Meu Reino, suportando toda a sorte de miséria e pobreza. (…) Deste modo não se poderá desculpar o pecador não disposto à remissão, pois a todos é dado reconhecer a Verdade e o Bem, isto é, aos pagãos, em virtude do conhecimento das coisas e relações no Reino da Natureza, e aos judeus, pelo caminho das revelações extraordinárias. (…) Quem tiver recebido grandes bens terrenos, deve administrá-los segundo a Vontade Amorosa do Pai, e assim será incumbido de grandes tarefas no Meu Reino, como fiel administrador de coisas simples, da Terra.

(GEJ - IX – 138:1-3,6,9,11,13; 141:3,5,6,7,9; 170:2-8:171:1-4,9; 210:5,6,14,16)


Rua de Damão, 289 e 297

4465-119 SÃO MAMEDE DE INFESTA - PORTUGAL

email: refugiobetania@gmail.com

 

         Ver Mapa

© 2020 por Refúgio da Betânia.