Buscar

TERRA


- Na experiência de Philopoldo é demonstrado que a Terra é a escola para a formação dos filhos de Deus.

(GEJ – I – 213:1...)


- O nosso planeta no plano de Deus, está acima dos demais corpos cósmicos, pois é aqui que são “formados” os filhos de Deus.

(GEJ - IV – 93VIII – 56-59)

Disse Jesus: “Nesta Terra, somente os que são destinados para tal fim (serem Filhos de Deus). Se ela (a Terra), portanto possui este privilégio sublime, a sua dignidade perante Deus está acima de todo o Universo. Os demais corpos cósmicos são moralmente inferiores, assim como os seus habitantes, no que se entende”os que habitam debaixo da Terra.” - “Facultaste a visão de outros mundos habitados por seres muito mais inteligentes, cuja ordem e beleza ultrapassam o nosso planeta … Por que justamente encarnaste nesta Terra, quando dispunhas de mundos solares de inexprimível beleza? (…) Digo Eu: … Porque encarnei aqui nesta Terra. Ainda que o repetisse, não o assimilarias até o vosso renascimento espiritual. Todavia, darei mais uma explicação. (…) O motivo principal reside na Minha Sabedoria e Vontade. Sabeis ter toda a criatura, um coração, do qual depende a vida, todavia desconheceis a sua estrutura. Eu o conheço e sei o que contém para animá-lo. Nele existem duas câmaras diminutas, correspondentes às duas coronárias. Para a vossa visão, tais câmaras nem seriam perceptíveis. Embora tão pequeninas, condicionam, pela organização, a vida do coração e, por ele, a existência do corpo. A primeira câmara mais importante, corresponde à natureza do espírito, ou seja, à própria vida; por isto chamá-la-emos de positiva e verdadeira. A segunda, de certo modo menos importante, enquanto indispensável à vida física, denominará de material ou negativa. Não contém vida; é simples receptáculo da vida recebida pela pulsação, vinda da câmara positiva para transmiti-la ao corpo através do sangue. Desde eternidades, sou a Razão de todo o Ser e Vida, portanto também sou a Câmara original e positiva no Coração eterno do Infinito. Se, dentro do Meu Amor, Sabedoria e Ordem, determinei a Minha Encarnação, só podia realizá-la naquele ponto do grande Homem Cósmico que corresponde à Minha Natureza básica. (…) Poderia ter sido outro planeta, como realmente aconteceu. Os sus habitantes se portaram muito mais indignamente do que os da Terra, de sorte que foi condenado e destruído com eles. Esta (a Terra), tendo sido escolhida desde Adão, e Eu nela aceitando o corpo material, ela o será até ao fim dos tempos dos espíritos condenados na matéria, e vós sereis portadores da Vida original de todo o Infinito e Eternidade, permanecendo Comigo em espírito e, por isto, sereis Meus verdadeiros filhos. Eis em breves traços, o motivo pelo qual Eu só pude encarnar neste planeta e não em outro mais perfeito, por simples amor aos Meus Filhos. Desde Eternidades, Eu estava em Meu Próprio Poder e Glória, mas não era um Deus Visível e Compreensível para qualquer criatura, nem para o anjo mais perfeito. Quando Me queria tornar Visível a Abraão, Isaque e Jacó, influenciava um anjo com o Espírito da Minha Vontade, de tal forma a representar ele a Minha Pessoa, por alguns momentos. De agora em diante, sou Deus Visível a todas as criaturas e anjos, fundei-lhes uma vida perfeita, eterna e independente, portanto real, no que consiste a Minha Própria Glória e também vossa. Isto assimilado, o restante será compreensível. (…) ”Em virtude de tais aptidões de semelhança divina, das quais fazem parte o idioma interno e externo, a escrita, a aritmética e outros, prestam-se unicamente a ouvir a Palavra da Boca de Deus. Primeiro pelas letras e símbolos, e depois no sentido espiritual, e no fim, o mais oculto e celeste. (…) Justamente por isto, só pude vir junto de vós, e de mais ninguém. Eis os motivos principais da Minha Encarnação nesta Terra. (…) Teriam os habitantes de outros mundos, alguma noção de Ti? E, caso a tenham, quem a forneceu? São eles semelhantes a nós? Digo Eu: … Tendo chegado a conclusão tão perfeita, quase se torna milagre, não teres encontrado resposta à tua pergunta. Se as criaturas desta Terra representam o recôndito vital do grande Homem Cósmico, que naturalmente vive e age dentro das normas da razão e da vontade, e às vezes, pelo instinto – a tua pergunta é facilmente respondida. Se o homem alcança o estudo completo e o aperfeiçoamento final apenas do seu coração, os habitantes de outros mundos conseguem o aprimoramento determinado somente pelo recôndito do coração do grande Homem Cósmico, imenso, de acordo com a sua própria formação e capacidade … Tens uma leva ideia da maneira pela qual as criaturas de outros mundos chegam ao Meu conhecimento, tornando-se sábias e felizes.”


- A futura provação da Terra e a protecção dos filhos de Deus.

(GEJ – V – 110)


- A Terra escola de provação para os filhos de Deus.

(GEJ – V – 157)


- Os primeiros homens sobre a Terra.

(GEJ – V – 197)


- Os seres primitivos sobre a Terra.

(GEJ – V – 198)


- Diferença entre criaturas da Terra e de outros mundos.

(GEJ – V – 200)


- A formação da Terra e a sua importância. Segundo a revelação de Jesus os espíritos superiores que já se libertaram da matéria, desejam encarnar em algum planeta ou sol.

(GEJ - IV – 106VIII – 70-74, 100)


“Na Terra poucos se decidem a encarnar por acharem tal passagem por demais difícil. Pois perdem aqui, todas as recordações dos estados anteriores e necessitam recomeçar uma vida nova, facto que não ocorre noutros planetas e mundos. Somente nas criaturas da Terra se dá o caso excepcional do completo esquecimento das suas vidas passadas, razão pela qual têm de recomeçar a sua existência numa ordem e formação novas, a lhes facultarem um desenvolvimento à perfeição divina. Eis porque somente pode encarnar na Terra, uma alma que tenha origem num Sol … Por tal motivo é somente ela (a Terra) destinada a acolher os verdadeiros Filhos de Deus. Por quê? … Como planeta pertencente ao Sol; em rigor, porém, não faz parte dele … e sim, tem a sua origem primária no Sol Central e, de certo ponto de vista, é inimaginavelmente mais velha que este Sol. Surgiu fisicamente, quando o nosso astro Rei de há muito havia percorrido a primeira translação pelo Sol Central, onde subtraiu o necessário para a sua final construção.”


- Um cidadão romano possuidor de algumas minas, pergunta ao Senhor, sobre a perfuração do solo terrestre:

Na perfuração das montanhas descobri coisas peculiares nas profundidades, isto é, ossos e esqueletos de remotos animais gigantescos. Quando habitaram a Terra e como chegaram no subsolo das montanhas? (…) Teria sido a Terra habitada, na época de Adão, por criaturas pré-históricas e talvez ainda sejam encontradas em determinados pontos do orbe? … Os livros de Moisés não esclarecem sobre este tema … dá-nos explicação maior, para que a Tua Luz resplandeça entre nós. Digo Eu: Quando a Terra em eras remotas, havia atingido a maturação, fazendo surgir algumas ilhas grandes e pequenas, cobertas de lodo marítimo, nele depositei, de acordo com a Minha Sabedoria e Vontade, várias espécies de sementes. (…) Quando o solo mais seco já apresentava alimento abundante, surgiram animais gigantescos. Tinham a finalidade de se alimentarem de ervas rudes e galhos, para estrumarem o solo com os excrementos e, no final, com os próprios cadáveres colossais. (…) Obtivestes uma definição compreensiva, da qual concluíste que em tal solo primitivo não podia haver substância para animais diferentes; muito menos para o homem. (…) Em justa época, foram nele depositadas sementes mais perfeitas, vindas da Minha Sabedoria e Vontade e, dentro em pouco, o aspecto era mais exuberante no planeta ainda jovem. (…) Embora os continentes ainda não fossem secos, inteiramente. Nesse período progressivo para flora e fauna, não era possível a Terra ter aspecto seco, o mesmo acontecendo aos botões em desabrochamento, pois tal situação não era favorável.

O segundo período preparatório durou igualmente um tempo incalculável. (…) Naturalmente, sucederam, no intervalo, quantidade de períodos tempestuosos, cuja finalidade Eu apenas, como Criador, conheço e, finalmente, também ao espírito ao qual desejo revelar.

(…) Surgiu um terceiro período, durante o qual apareceram do mar, grandes continentes impulsionados pelo fogo interno do orbe, dentro da Minha Vontade. A vegetação tornou-se mais exuberante e de tamanho gigantesco, inclusive os animais … não se prestava para moradia do homem.

( …) Em seguida, houve grandes períodos de intercalação, para dar início ao quarto período. Os continentes surgiram maiores, a vegetação ainda mais fértil; na água, sobre o solo e no ar, se manifestavam animais pequenos e grandes … Esse período durou imenso tempo e o solo ia recebendo, de quando em quando, os raios do Sol … Tal época também não apresentava vestígios humanos. Novamente se deram grandes convulsões terráqueas, enterrando na maior parte tudo que teríeis chamado de criaturas.

(…) Vimos surgir o quinto período. Do fundo do mar, ergueram-se continentes vastos, juntaram-se aos já existentes, formando grande área. Surgiram as maiores e mais altas montanhas … por meio de terramotos e enxurradas seguidas de chuvas fortíssimas, iam sendo levadas aos vales e fendas do solo. Assim se formaram planícies extensas, vales e campos, nos quais tudo podia germinar. Com este período, a Terra entrou numa circunvolução mais ordenada, em redor do Sol; dia e noite se seguiam, inclusive as estações, conquanto sobre muitas mudanças, em virtude da importante vacilação dos pólos. Aparecem correntes marítimas de 14.000 em 14.000 anos. Por elas eram inundados os dois pólos, para futura formação de frutos sobre os extensos desertos de cascalhos. Decorrida tal época de 14.000 anos, o mar teria despejado tanto lodo frutífero sobre aquelas planícies, que as tornavam muito férteis. O quinto período levou mais de milhões de anos, até que fosse apropriado para nova fase criadora … animais e criaturas pré-adamitas. Havia então árvores frutíferas e outros vegetais para alimento de animais e homensnão usavam roupa nem habitações. Construíam, imitando as aves, ninhos sólidos nos troncos fortes e acumulavam alimentosNa época das geadas, homens e animaisdirigiam-se para zonas mais quentes. Mais para o fim desse período, apareceram o burro, o camelo, o cavalo e o porco, utilizados pelo homem para transporte, caça e no aproveitamento do leite e lã, esta para forro dos seus ninhos. Idioma propriamente, não possuíam; entendiam-se por meio de certos sons e gestos, como animais inteligentes … conheciam a erva indicada para a cura de doenças, geralmente causadas pela idade avançada. (…) Somente desconheciam o modo de produzir fogo … inteligência dotada de certo grau de livre arbítrio, ultrapassava a do símio mais perfeito. (…) Eram de físico gigantesco e donos de dentadura tão forte, que a usavam como instrumento cortanteDominavam com os olhos e a vontade os animais e, às vezes os elementos da Natureza. (…) Tornaram-se estrume da Terra para o Género humano actual, semelhante a Mim. A cor da sua pele, bastante peluda, variava entre escura e cinza claro; somente no Sul havia tribos peladas. A sua forma tinha grande semelhança com os negros de hoje. Progrediram até Adão, nas planícies e florestas densas; nunca emigraram para as montanhas.

(…) Digo Eu: Na época de Adão, na qual se inicia o sexto período, a Terra teve que passar, em parte, por grandes transformações através do fogo e da água e, nesta ocasião, sucumbiu quase totalmente a raça pré-adamica e os seus animais caseiros, assim como as inúmeras florestas com os animais selvagens. Sobraram apenas algumas espécies de aves, os animais das montanhas e da água. Na Ásia se conservaram alguns remanescentes dos pré-adamitas até à época de Noé; pouco a pouco foram-se perdendo … Em algumas zonas da África do Sul, em certas ilhas maiores, encontram-se poucos descendentes do quinto período. São inteiramente selvagens, com raras mostras de alguma cultura, adquirida pelos descendentes de Caim … Uma parte está em situação algo melhorada, por ter surgido do cruzamento dos cainitas e lamechitas; mas, também não se presta para uma educação superior. No seu início, a Terra havia recebido a Lua como acompanhante e regulador da sua trajectória em redor do Sol e do seu próprio eixo. (…) Um planeta destinado a produzir e alimentar seres vivos, tem que ser vivo.

(…) Através da explanação clara e simples dos períodos evolutivos, podeis deduzir o motivo principal porque Moisés dividiu a Criação em seis dias. Nada mais são, que seis períodos, aos quais todo o serinclusive o homemtem que passar, material, psíquica e espiritualmente, para a sua maturidade e perfeição.

Só então virá o sétimo período, da calma, ou seja, a Vida Eterna e feliz. Possui esta denominação, porque ao espírito perfeito não mais oprimem coação, julgamento e aflição, pois tem ingressado no pleno conhecimento e no poder ilimitado.”

Manifesta-se João: “Senhor, afirmas constantemente: Até ao fim dos tempos desta Terra! Que será depois? Estaremos até lá neste planeta, com a missão do Evangelho? Digo Eu: Como podes apresentar ideias tão infantis! Fisicamente, vivereis o tempo de um homem comum. Espiritualmente, continuareis agindo com todos os Meus seguidores – principalmente, porém, para todo o sempre Comigo, nos Meus Céus. De lá podereis influenciar muito mais as criaturas desta Terra. O fim dos tempos da Terra é algo inconcebível para vós; pois toda a matéria telúrica consiste de almas condenadas, à espera de libertação. Calculai um átomo para a substância de uma alma e, que num ano, pode libertar-se somente um milhão de almas, pelo caminho já várias vezes demonstrado. Isto, porque não pode subsistir maior número no solo terráqueo – e sabereis que o orbe existirá por longo tempo, se bem que sob muitas transformações.”

(GEJ - VIII – 69:3,5 - 71:1,2,4 - 72:-1-17 - 73:1-4,8,10,11 - 100:7-9)


- Significado das expressões “debaixo e acima da Terra”.

“Diz Raphael: “Por enquanto isso não pode ser, em virtude de outros compromissos com o Senhor e as criaturas. Mas, num caso de necessidade, estarei em vosso meio como se me tivesses chamado. Além disso, tendes a promessa do Senhor em poderdes agir em Seu Nome – mais Poderoso que incontáveis arcanjos idênticos a mim! Apoiai-vos neste Nome que Se chama: Jesus – Força de Deus – e as montanhas recuarão, tempestades e tufões se acalmarão, na hipótese ser tal a vossa conduta a terdes mérito para tanto. Pois Este é o Nome Verdadeiro de Deus, em Seu Amor Eterno, diante do Qual tudo se curva no Céu, na Terra e debaixo da mesma! Não me refiro ao solo deste planeta, uma esfera como outra qualquer e toda ela feita de continentes, montanhas, lagos e mares; tampouco falo do interior do mesmo, em si, um organismo animal de colossal proporção, destinado ao desenvolvimento da vida natural de um corpo cósmico; sob a expressão “debaixo da Terra” aponto o estado moral dos racionais providos de instinto, existentes nos outros planetas habitados, contados por milhares; tais criaturas têm apenas finalidade reduzida, comparada à vossa. Pertencem eles também ao Infinito Todo e representam, de certo modo, os elos de uma corrente; vós, porém, sois os elos, pela finalidade de verdadeiros filhos de Deus, a carregarem com Ele e connosco a Infinita Criação Total! Por esta razão vos classifiquei acima desta Terra, logo a seguir de nós, habitantes dos Céus!”

(GEJ – V – 84:3-5)


- O planeta Terra e outros são organismos vivos.

(GEJ – VII – 114)


- As mudanças geológicas na Terra.

(GEJ – VII – 115)


Rua de Damão, 289 e 297

4465-119 SÃO MAMEDE DE INFESTA - PORTUGAL

email: refugiobetania@gmail.com

 

         Ver Mapa

© 2020 por Refúgio da Betânia.