Buscar

TRINDADE DE DEUS e TRINDADE NO HOMEM

- Pedro lembrando o baptismo de Jesus por João Baptista, levanta a questão do Espírito Santo, pois entende Deus o Pai no Céu e Jesus como Filho na Terra.

(GEJ - VI – 229-231VIII – 24-27, 158)


Diz Pedro: “Não podemos fugir do conceito da Existência de Deus Pai, no Céu. És indubitavelmente o Seu Filho, e uma terceira Entidade, idêntica a Deus e a Ti, é o Espírito Santo. Agimos mal, estabelecendo tal princípio de fé?” Jesus diz: “A hora para tal revelação ainda não chegou, entretanto, não dista muito. (…) Digo Eu: Bem – mas que vem a ser o Espírito Santo? (…) Deveis crer em Deus Único porque nunca houve nem haverá outros! … Disse anteriormente ser o ponto principal da vida o conhecimento completo de Deus, pois sem ele não há vida verdadeira, e sim, apenas maquinal … Agora prestai atenção!”


- Trindade em Deus e no Homem.

O Pai, Eu, como Filho e o Espírito Santo, somos inconfundivelmente Um Só, desde eternidades.” “O Pai em Mim é o Eterno Amor, isto é, a Base e a Substancia principal de todas as coisas, que preenchem o Infinito. Eu, como Filho, Sou a Luz e a Sabedoria, surgidas do fogo do Amor eterno. Esta poderosa Luz é Eterna e perfeita Consciência, o mais claro Conhecimento Próprio de Deus, o Verbo Eterno pelo qual tudo surgiu. Para tal fim, é preciso participar a Vontade Poderosa de Deus, ou seja, o Espírito Santo pelo qual as obras e seres recebem existência. O Espírito Santo é a Palavra Pronunciada: Que assim seja! – e imediatamente se evidencia aquilo que o Amor e Sabedoria Divinos determinaram. Tudo isto se acha em Mim: o Amor, a Sabedoria e a Omnipotência. Deste modo só existe Um Deus, que Sou Eu; por isso tomei carne, a fim de Me revelar às criaturas desta Terra por Mim criadas, de acordo com a Minha Semelhança, através do Meu Amor. Demonstrar-vos-ei haver a mesma trindade dentro de vós. (…) Pelo facto de o homem, como semelhança divina, possuir igualmente tal capacidade – acaso é ele três indivíduos, ou um só?

“Senhor e Mestre! Esclareces-te que os Teus discípulos, incumbidos da divulgação da tua doutrina, deveriam baptizar em Nome do Pai – o Amor; do Verbo, do Filho ou a Sabedoria do Pai, e em Nome do Espírito Santo, a Vontade Omnipotente do Pai e do Filho. (…) Pela terminologia da trindade, muito embora expressando noções elevadíssimas, facilmente as criaturas poderiam ser levadas à crença de três divindades personificadas. (…) Tal calamidade poderia repetir-se após vários séculos, em consequência do baptismo sob diversos nomes. (…) Respondo: Falaste bem; todavia não posso deixar de recomendar-vos encarecidamente a explicação acima, pois, pela terminologia da Trindade, o Ser Divino é representado em Sua totalidade. O homem é criado à Imagem de Deus, e quem quiser conhecer-se a si mesmo, terá que aprender a sua tríplice individualidade. Tens um corpo … Esse corpo tem vida natural para desenvolvimento da alma, mui diversa da manifestação espiritual da psique … Sem a constante actividade independente do coração, a criatura não teria vida. A alma não tem relação com essa actividade. (…) Analisemos a alma e descobriremos ser ela igualmente uma criatura isolada com as mesmas partes do corpo, porém de substância espiritual, dele se servindo como o corpo utiliza os seus membros! Muito embora, corpo e alma, representem dois seres distintos, cada qual com a sua função peculiar, nem podendo dar-se conta do como e porquê – constituem realmente um individuo … O corpo serve à alma, e ela ao corpo, pelo intelecto e vontade. (…) Em tal caso é um ser com o espírito, como também as partes mais puras do corpo de uma alma perfeita. (…) Digo Eu: Em todas as coisas descobrireis três factores distintos. O primeiro, é evidentemente a forma, pois sem ela nada existiria ou poderia ser imaginado. O segundo é o volume; sem ele, as coisas não existiriam, tampouco teriam forma. O que vem a ser o terceiro factor tão imprescindível à existência do primeiro e do segundo? A força interna de coesão que perfaz a natureza das coisas. Essa força constituindo conteúdo e forma, é, a base de tudo; sem ela não se admite um ser ou objecto. Vistes serem os três factores distintos, porquanto a forma não é volume, e este não é força condicionada. (…) Voltemos à alma. Em virtude da sua existência definida, ela necessita de forma, isto é, do corpo, seja ele material ou de substância espiritual. (…) Isto tudo existindo, deu-se a força, ou seja, o espírito, do qual depende a alma; o espírito é tudo em tudo, pois sem ele não há substância sólida, corpo ou forma. Uma vez surgida a alma ou a criatura, de acordo com a vontade e a inteligência do espírito, este se retrai no seu recôndito, passando à alma vontade livre e inteligência independente, das quais ela se apossa pelos sentidos, externos, pela percepção interna e aperfeiçoando-os como se fosse obra sua. Em virtude desse estado, no qual a alma se sente isolada do espírito, é ela apta a revelações externas e internas. (…) A experiência diária demonstra a apresentação da alma como indivíduo, a terceira personalidade. O corpo serve à alma como revelação externa do espírito, tendo a finalidade de externar inteligência e livre arbítrio da alma. (…) Passaremos à triplicidade da Natureza de Deus. (…) As Escrituras afirmam que Eu, Jesus Cristo (Salvador, Messias), o Filho do Homem, sou Deus Verdadeiro, muito embora denominado Pai, Filho e Espírito Santo! Todavia, é Deus uma só Glória, personificada na forma perfeita do homem. Se alma, corpo e espírito são de tal forma unidos a constituírem um ser, ou finalmente uma substância individual, entretanto são manifestações distintas – Pai, Filho e Espírito Santo igualmente estão unidos, conforme ensina a Escritura dos patriarcas e profetas.


- A Natureza de Deus.

Digo Eu: Se Deus, Criador de todos os seres – todavia diferentes de todos – foi, é e será eternamente Verdadeiro, acaso tal facto O obriga a permanecer no Centro Original? Se ao homem foi dado livre movimentação física e muito mais em espírito – como deveria Deus limitar-Se neste sentido? Digo-vos: O Infinito divino tem Poder de movimentação infinita; portanto, assiste-Lhe o direito de transformar a Sua Glória em carne, a fim de Se tornar visível e palpável às criaturas. (…) A Divindade não passará Sua Glória a outrem; Eu, Cristo (Messias), Sou Deus Único! Criaturas, anjos, exércitos e poderes angelicais, todas as criaturas no Céu e na Terra sempre se curvaram diante de Mim e jamais o fariam perante outro, assim como todos os Espaços cósmicos – incompreensíveis há vossa imaginação – são tragados pelo único Espaço Infinito, como se nada representasse. (…) Que Deus fazeis do Pai? (…) Se existem Filho e Espírito Santo, diferentes do Pai, assim como existem anjos e criaturas, só podem ser criações Dele, porquanto possuem a natureza perfeita do Criador, e não em consequência da própria Omnipotência individual. (…) Aquilo que recebe existência de um outro ser poderia ser idêntico Àquele que se auto-criou? Pode a Eternidade ser idêntica ao tempo fugaz, ou a um Espaço limitado, semelhante ao Infinito?”


- O Senhor Jesus, como Filho.

Digo Eu: Se o Filho existiu desde Eternidades – como poderia ser gerado? E se o Espírito Santo igualmente existiu desde sempre – poderia surgir e originar-Se de Pai e Filho?” (…) Eu, como Homem carnal, sou o Filho gerado por Mim Mesmo, portanto, o Meu Próprio Pai desde eternidades. Este Meu Corpo é a Figura glorificada do Pai, por causa dos filhos e anjos, a fim de Me tornar um Deus compreensível e visível, de sorte que podeis Me ver, ouvir e falar, conservando-vos vivos; pois constava: ninguém pode ver deus e continuar com vida. (…) Eu, como Homem entre vós, encontro-Me com a Minha Natureza primitiva e total, perfeita e uniforme, neste refeitório no Monta das Oliveiras; Como Deus e Homem ao mesmo tempo, não estou em parte alguma, nem nesta, nem em outra Terra; através da Força projectada, o Espírito Santo, conheço, sei, ordeno, crio, conduzo e rejo tudo, do maior ao mais ínfimo. Assim orientados por Mim Mesmo, compreendereis porque deveis fortificar pelas mãos, em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, as criaturas que em Mim acreditam e agem pela Doutrina. (…) Peço-vos, encarecidamente, transmitirdes aos homens um esclarecimento justo e positivo, onde este faltar, eles em breve atrofiarão espiritualmente, passando a toda a sorte de erros, tornando-se difícil levá-los ao caminho da Verdade plena. É Meu maior desejo que todas as criaturas desta Terra encontrem os caminhos luminosos da Verdade, para alcançarem a Vida Eterna. (…) Na divulgação da Minha Doutrina, agireis bem pelo preparo da razão e do sentimento das criaturas. Onde ambos forem compenetrados da mesma, a fé se tornará viva e activa pela boa vontade. (…) Passai aos futuros adeptos os conselhos que vos transmito! (…) Também operareis milagres, eles vos imitarão (falsos profetas) com toda a sorte de mistificações: por isto, os milagres serão prova fraca da genuinidade dos ensinamentos; o que inculcares ao intelecto e sentimento através de palavras esclarecedoras, serão prova viva e eternamente indestrutível da Verdade da Doutrina viva dos Meus Céus.


- Jesus dá explicação sobre a Unidade de Deus.

Digo Eu: … Eu mesmo sou Tudo em tudo, e tudo está em Mim. Eu e Ele (o Pai) não somos dois, mas perfeitamente Unos.

A Vontade do Pai é, portanto a Minha Vontade activa em tudo.

Ninguém poderia ver o Pai como Ser Absoluto. Pois Ele, sem Mim, não existiria, e Eu, tampouco, sem Ele, porque Eu e Ele somos perfeitamente Um Só Ser. Mas, quem vir e ouvir a Mim, verá e ouvirá o Pai. Pois Eu como Pai, enviei-Me a este mundo pela Própria Vontade. (…) Responde ela: “Sim, Senhor e Mestre, Pai, Filho e Espírito!”

Rua de Damão, 289 e 297

4465-119 SÃO MAMEDE DE INFESTA - PORTUGAL

email: refugiobetania@gmail.com

 

         Ver Mapa

© 2020 por Refúgio da Betânia.